logotipo

Experiência no mercado contábil, profissionais qualificados, tecnologia e mais de 20 anos de atuação no mercado.

A RCA trabalha para a continuidade de seu sucesso

Busca

Nota Fiscal Avulsa Eletrônica (NFAe) | Contabilidade para Empresa
Emissão de notas

Com a publicação dos Decretos 3.329/2008 e 3.330/2008, a partir de 1º de novembro de 2008 os órgãos da administração pública direta estadual, suas autarquias e fundações, ficam obrigados a exigir Nota Fiscal Avulsa emitida por processamento de dados -NFAe nas operações internas de aquisição de bens e mercadorias.O Decreto 3.329/2008 obriga os órgãos públicos estaduais a exigir a NFAe em suas aquisições, enquanto o Decreto 3.330/2008 obriga os contribuintes paranaenses a emitir a NFAe nas vendas a órgãos públicos federais, estaduais e municipais.A NFAe é um serviço disponível na AR.internet que permite a emissão online de documento fiscal (denominado "Nota Fiscal Avulsa eletrônica", NFAe) em substituição à nota fiscal modelo 1 ou 1-A.Portanto, o contribuinte paranaense que efetuar venda a órgão público estadual deverá emitir uma NFAe em substituição à sua nota fiscal modelo 1/1-A. As únicas exceções são para os casos de vendas:a) de valor inferior a R$50/2007

 

Perguntas e Respostas – Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe)

Atualizado em 15/06/2009

 

1. O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica?

A Nota Fiscal Avulsa eletrônica é um serviço, disponível na AR.internet (usuário: contribuinte) e na Sefanet (usuário: auditor fiscal), que permite a emissão de documento fiscal (denominado “Nota Fiscal Avulsa eletrônica”, NFAe) em substituição à nota fiscal modelo 1 ou 1-A.


2. Uma NFAe é um documento fiscal?

Sim, a NFAe é um documento fiscal legalmente constituído para fins fiscais, devendo receber o mesmo tratamento de notas fiscais modelo 1 ou 1-A.


3. Quem pode emitir uma NFAe?

O sistema está modelado na forma de projetos. O sistema identifica o emitente de acordo com o projeto ao qual está vinculado, conforme relação a seguir. Os projetos atuais são:

• “MIC”: emissão por microempresas e empresas de pequeno porte (ME/EPP) optantes pelo Regime
Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições (“Simples Nacional”), via AR.internet.

• “MIT”: emissão por ME/EPP optantes pelo regime do Simples Nacional, via Sefanet (para operações de saída tributadas).

• “RTS”: emissão por estabelecimentos enquadrados até 30/06/2007 no Regime Fiscal das
Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Paraná que não migraram para o Simples Nacional.

[nota: projeto desativado a partir de 31/08/2008]

• “NCO”: emissão por estabelecimentos ativos, até que lhe seja concedida AIDF para Nota Fiscal Modelo 1 ou 1A. [nota: projeto alterado pela NPF 045/2009 para permitir acesso a qualquer estabelecimento ativo que ainda não tenha AIDF para NF modelo 1/1-A, independente da data de início de atividade]

• “CON”: emissão por estabelecimentos em construção (na planta).

• “RIP”: emissão por contribuintes enquadrados no regime individual de pagamento.

• “EMP”: emissão por contribuintes empresas públicas.

• “EMF”: emissão por estabelecimentos em massa falida, por determinação judicial.

• “COP”: emissão por qualquer estabelecimento ativo, exclusivamente para vendas a órgãos públicos
(Decreto 3.330/2008).

• “ADF”: emissão por contribuintes que tiveram concessão de AIDF indeferida.

• “CAR”: emissão por contribuintes de ramo carvoeiro (NPF 111/2008).

Nota: Outros projetos poderão ser implantados pela Secretaria da Fazenda, obrigando a emissão de NFAe para contribuintes específicos, na forma de Norma de Procedimento Fiscal (NPF).

Atenção: contribuintes obrigados ao uso de Nota Fiscal eletrônica – NF-e não podem emitir NFAe), exceto nos casos dos projetos “CON” e “EMF”, cujos emitentes poderão emitir NFAe mesmo se obrigados ao uso de NF-e.

AMBIENTE AR.internet

Se Emitente for Atribui-se o Projeto Ação

CAD/ICMS Regime Simples Nacional MIC Permite emissão, desde que o estabelecimento esteja com a situação cadastral “ativo”

CAD/ICMS Regime Normal Verifica se estabelecimento está vinculado a algum projeto

Permite emissão, desde que o estabelecimento:

a) faça parte de um projeto; b) esteja com a situação cadastral “ativo”

AMBIENTE SEFANET

Se Emitente for Atribui-se o Projeto Ação

CAD/ICMS Regime Simples Nacional MIT Permite emissão, desde que estabelecimento esteja com a situação cadastral ativo CAD/ICMS Regime Normal Verifica se estabelecimento está vinculado a algum projeto

Permite emissão, desde que o estabelecimento:

a) faça parte de um projeto;

b) esteja com a situação cadastral ativo

 

4. A NFAe é uma versão eletrônica da Nota Fiscal Avulsa emitida pela Agência da Receita Estadual?

Sim. A NFAe é um documento fiscal emitido por processamento de dados, em substituição às notas fiscais modelos 1 ou 1-A e, conforme parágrafo 1º do artigo 136 do RICMS/PR.

 

5. A ME/EPP optante pelo Simples Nacional será obrigada a utilizar esse serviço em substituição à emissão de nota fiscal modelo 1 ou 1-A?

Não. A NFAe é de emissão opcional para os estabelecimentos enquadrados no regime do Simples Nacional.


6. Quem pode emitir uma NFAe?

No ambiente AR.internet, tanto o sócio quanto seu contabilista estão habilitados a emitir uma NFAe. Caso um sócio não deseje que seu contabilista possa emitir uma NFAe, deverá comunicar formalmente o Fisco através da Agência de Receita Estadual do domicílio tributário de seu estabelecimento.

 

7. Em que tipo de papel poderá ser impressa a NFAe?

A NFAe deverá ser emitida em papel comum, exceto papel jornal, no tamanho de 29,7 cm de largura e 21 cm de altura (padrão A4).

 

8. Durante a emissão da NFAe, ocorreu uma interrupção (queda de energia, perda da conexão com internet, etc.). O que fazer?

Deve ser reiniciado o procedimento de emissão da NFAe.

 

9. E se a interrupção ocorreu exatamente no momento de confirmação da emissão?

Recomenda-se que seja realizada uma consulta (opção “Consulta de Nota Fiscal Avulsa eletrônica”) para verificar se a NFAe foi de fato emitida ou não.

 

10. Ao imprimir a NFAe, ocorreu um problema (impressão com má qualidade, papel impresso inadequado ou rasurado, etc.). O que fazer?

É permitida a reimpressão da NFAe, através da opção de consulta por emitente. Note-se porém que tal reimpressão não autoriza o estabelecimento a reutilizar uma NFAe (um documento fiscal emitido pode acobertar apenas uma única operação).

 

11. A ME/EPP optante pelo Simples Nacional pode emitir uma NFAe para operações de saída tributadas?

Sim. Porém, deverá fazê-lo através de uma Agência da Receita Estadual (ambiente Sefanet, projeto “MIT”), haja vista que a emissão por estabelecimentos do regime Simples Nacional via AR.internet (projeto “MIC”) não permite tributar uma NFAe de saída. Assim, nos casos onde é responsável pelo pagamento de ICMS nas saídas (nas hipóteses de saída arroladas no artigo 5º da Lei 15.562 de 04/07/2007), o documento deverá ser emitido por auditor fiscal.

 

12. Posso emitir uma NFAe para operações com o exterior?

Sim. Uma NFAe poderá ser emitida normalmente para casos de importação ou exportação. Perguntas e Respostas – Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) – Página 3 de 6

 

13. Estou emitindo uma NFAe hoje, mas a mercadoria vai sair apenas daqui a dois dias. O que fazer?

O sistema permite uma data de saída posterior à data de emissão, desde que não exceda três dias, ou seja, a data da saída dos produtos não poderá exceder ao terceiro dia contado da data da emissão.

 

14. Posso cancelar uma NFAe emitida?

Sim, uma NFAe pode ser cancelada, devendo ser respeitadas as regras e hipóteses legais para cancelamento de um documento fiscal. Vale lembrar que o estabelecimento fica sujeito a posterior verificações pelo Fisco estadual.

 

15. Como será a numeração da NFAe?

Será seqüencial de 1 a 999.999.999, única para todos os contribuintes, reiniciada quando atingido esse limite. Note-se, portanto, que a numeração não será seqüencial para cada contribuinte individualmente, ou seja, o sistema fornece um número seqüencial para cada emitente na medida em que há a emissão, independente do contribuinte que estiver emitindo.


16. O que é o “HashCode”?

É um código numérico, impresso na NFAe no campo “Dados Adicionais – Reservado ao Fisco”, obtido com a aplicação do algoritmo MD5 - Message Digest 5, de domínio público, que comporá a chave única de identificação e autenticação da NFAe.


17. Quantos itens posso inserir em uma NFAe?

O sistema permite um máximo de até dez (10) itens. Se a operação envolver mais de dez itens, deverá ser emitida mais de uma NFAe, sempre obedecendo o limite de dez itens por documento.

 

18. Posso emitir uma NFAe para operações interestaduais?

Sim, uma Nota Fiscal Avulsa eletrônica é documento fiscal hábil para acobertar operações interestaduais.

 

19. Preciso utilizar o código NCM (Nomenclatura Comum do MERCOSUL) para codificação do produto?

O uso do código NCM é opcional, porém sempre será obrigatório informar o código interno (utilizado pelo estabelecimento) do produto discriminado na NFAe. Caso o contribuinte precise informar o NCM, deve utilizar o campo "Informações Complementares".

 

20. Quando fui emitir uma NFAe, não havia na tabela de unidade de produto a unidade de medida que preciso. O que faço?

Em tais casos, e quando não for factível converter a unidade para uma das opções da tabela, pode-se selecionar como unidade de medida o termo “unidade” na tabela e então inserir na descrição do produto a unidade efetivamente utilizada.

 

21. Para que serve a opção de geração de arquivo magnético de NFAe?

O objetivo dessa função é possibilitar a escrituração fiscal das notas fiscais emitidas. A NFAe é um documento fiscal e, como tal, deve ser escriturada nos livros fiscais do contribuinte. Para evitar que o emitente de NFAe que seja usuário de processamento de dados tenha de digitar em seu sistema (inserir manualmente) os dados das NFAe emitidas, há a possibilidade de gerar um arquivo magnético para importação.

 

22. Sou usuário de processamento de dados. Ao me tornar usuário da NFAe, estou desobrigado de entregar arquivos magnéticos?

Não. Os estabelecimentos usuários de processamento de dados devem entregar normalmente os arquivos magnéticos conforme artigo 407 do RICMS/PR, incluindo os dados relativos às NFAe por ele emitidas.


23. Para que serve a consulta pública de “Confirmação de NFAe Emitida”?

É um serviço que permite a terceiros verificar se uma dada NFAe foi ou não emitida pelo sistema e qual sua situação (se normal ou cancelada).

 

24. A NFAe é equivalente à Nota Fiscal eletrônica nacional?

Não. A Nota Fiscal eletrônica nacional é um documento emitido e armazenado eletronicamente, de existência apenas digital. Já a NFAe é um documento fiscal impresso, cujo processo de emissão é eletrônico.

 

25. Na emissão da NFA-e por empresa enquadrada no Simples Nacional qual o código que deve ser preenchido no campo situação tributária nas operações de vendas internas ou interestaduais?

De acordo com a Resolução CGSN nº 010, de 28 de junho de 2007, as empresas do Simples não podem gerar créditos do ICMS. Assim, para a emissão da NFAe a situação tributária a ser considerada é de Isenta, ou seja, código 40.

Para outras dúvidas, entrar em contato com o nosso Serviço de Atendimento ao Cidadão – SAC:

Curitiba e Região Metropolitana: 3350-5009

Demais localidades: 0800-41-1528.